UNIÃO EUROPEIA JÁ VACINOU 70% DOS ADULTOS

PORTUGAL É O 5º PAÍS COM COMBUSTIVEÍS MAIS CAROS NA UNIÃO EUROPEIA
27 de Julho, 2021
COIMBRA E AROUCA NA LISTA DOS 100 LOCAIS IMPERDÍVEIS EM 2021
28 de Julho, 2021

UNIÃO EUROPEIA JÁ VACINOU 70% DOS ADULTOS

São boas noticias para a Europa que prova como alcançou um dos objetivos estipulados.

Numa altura em que o processo de vacinação em Portugal continua a um ritmo bastante razoável – neste momento já mais de 45% da população portuguesa está completamente vacinada e mais de 60% recebeu, pelo menos, uma dose – a União Europeia chega também a um marco importante.

Compenetrada a alcançar imunidade de grupo até ao fim do verão, a Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, tem sido incansável nos seus pedidos de aceleração de vacinação aos países membros da UE. E, os resultados estão à vista. Hoje, dia 27 de julho de 2021, é o dia em que, finalmente se pode dizer, mais de 70% da população adulta da UE recebeu, pelo menos, uma das doses de vacina. A este valor junta-se a percentagem de adultos totalmente vacinados que é, nesta altura, de 56%.

Numa nota enviada â Agência Lusa, a comissária europeia de Saúde, Stella Kyriakides, referiu: “atingimos um marco importante, tendo 70% da população adulta da UE recebido uma primeira dose de uma vacina anticovid-19. É um momento de que a UE se pode orgulhar coletivamente”, lembrando que fez sempre parte dos planos da UE que, pelo menos 70% da população adulta tivesse uma dose até ao fim de julho, concluindo assim na mesma nota enviada: “O nosso objetivo era proteger 70% dos adultos na União Europeia com pelo menos uma vacinação em julho e hoje atingimos este objetivo,57% dos adultos já têm a proteção total da dupla vacinação”

Stella Kyriakides, reforça a vontade de ter mais de 70% da população adulta europeia completamente vacinada até ao fim do verão já que esse é outros dos objetivos com que a UE se comprometeu. Ainda assim, reconhece que casos pouco comuns como reações adversas às vacinas (recordemos a questão dos coágulos de sangue), alguns atrasos nas entregas das vacinas e a imprevisibilidade das mutações do vírus podem, eventualmente, atrasar o processo.

Texto de Bernardo Lemos