AUSTRÁLIA VAI SER ANFITRIÃ OLÍMPICA EM 2032
21 de Julho, 2021
AS NOVAS DATAS DO FESTIVAL MÚSICA NO PARQUE
21 de Julho, 2021

SEXY AND STILL RESPECTFUL

Bem vindos à maldade que se tornou mais “fácil” com as redes sociais. Falar atrás de um ecrã é algo que qualquer pessoa faz, é  algo que não requer nenhum tipo de coragem, aliás, só mostra covardia. 

Quem ataca, quem ofende, quem se dedica e se orgulha de dar hate são pessoas que por algum motivo revelam grandes inseguranças e que para as combater atacam as pessoas especialmente nas redes sociais. Ter inseguranças não é desculpa para humilhar e atacar pessoas que nunca nos fizeram nada e que se encontram seguras de si no momento em que partilham aquela imagem ou aquele conteúdo. 

A Billie Eilish é uma prova viva de que seja de que forma for as pessoas comentam sempre. Conhecida pelo seu estilo próprio, a artista sempre foi criticada por uns e admirada por outros por não ter de mostrar o seu corpo para se tornar viral. A própria afirmou:

“The more the internet and the world care about somebody that’s doing something they’re not used to, they put it on such a high pedestal that then it’s even worse.” – Billie Eilish 

Vivemos num mundo de aparências e a artista sempre foi comentada pelo seu estilo mais despreocupado, mais livre e largo. Após a entrevista e, por sua vez, sessão fotográfica para a Vogue, Billie Eilish mostrou um estilo completamente diferente daquele que era conhecido pelos seus fãs. A artista que não se conhecia o corpo apresentou-se na sessão para a VOGUE com um outfit mais sexy e mais “destapado”. Foi uma polémica que inundou as redes sociais e a artista foi alvo de vários tipos de comentários. Uns apoiaram, outros atacaram e assediaram. Nós nunca sabemos o que se passa na vida das pessoas, nós não conhecemos as suas inseguranças, e mesmo assim continuamos a comentar como se soubéssemos tudo e como se aquele comentário não tivesse qualquer tipo de influência na vida daquela pessoa. Mas as redes sociais têm um problema, não é apenas um comentário mas sim uma série deles que pode e que certamente chegará àquela pessoa. 

Estamos em constante evolução e não deveríamos “opinar” tanto sobre o que uma pessoa faz ou diz ou veste, seja ela mais ou menos conhecida. 

“It’s all about what makes you feel good. If you want to get surgery, go get surgery. If you want to wear a dress that somebody thinks that you look too big wearing, f**k it – if you feel like you look good, you look good.”

Todos temos o direito a sermos nós próprios e não deveríamos mudar a nossa forma de ser ou de vestir porque aquelas pessoas decidiram fazer um comentário negativo. As pessoas vão comentar sempre, por isso o melhor que há a fazer é simplesmente ignorar.  

Se uma mulher quiser vestir-se de forma mais atrevida está no seu direito, tal como os homens. A maneira de se vestir não define o seu carácter e não deveria ser menos respeitada por isso. Podemos ser sexys e ser respeitados em simultâneo. 

A Billie Eilish viralizou pelo seu conteúdo diferente, pelo talento incrível e pela sua despreocupação relativamente à sua aparência. Agora no momento em que se mostra como uma mulher segura de si e do seu corpo é atacada com uma série de comentários desnecessários que afirmam que perdeu o respeito por mostrar um pouco mais de pele. 

Tal facto acontece com esta artista mas é algo que ocorre em tantas pessoas, e cada vez em idades mais jovens. Se nos sentimos bem a usar roupa larga usamos, se queremos mudar de visual mudamos, se queremos vestir-nos de forma mais atrevida vestimos-nos. Chegou o momento em que temos de ser indiferentes à opinião dos outros, porque seja de que forma for vão comentar e quer queiramos ou não vai existir sempre gente a não gostar de nós. 

O truque está em sermos nós próprios e termos orgulho nisso. Se nós nos vemos ao espelho e gostamos do que vemos, o caminho está certo e devemos continuar nele. Ninguém tem o direito a querer mudar-nos, e isso é algo que precisamos de ter sempre presente na nossa vida. 

Quem gosta gosta, quem não gosta gostasse. 

Texto escrito por Andreia Liquito