“O DAKAR É COMO OS JOGOS OLÍMPICOS DO TT MUNDIAL”.

FEDERAÇÃO DA POLÓNIA RECUSOU PEDIDO DE PAULO SOUSA PARA RESCINDIR CONTRATO
27 de Dezembro, 2021
PORTUGAL REGISTA MAIS DE 6 MIL CASOS NAS ÚLTIMAS 24 HORAS
27 de Dezembro, 2021

“O DAKAR É COMO OS JOGOS OLÍMPICOS DO TT MUNDIAL”.

Entrevista com Miguel Barbosa, o oito vezes Campeão Nacional de TT que regressa este ano ao Dakar após mais de dez anos de ausência.

Num muito antecipado, e desejado, regresso ao Rali Dakar, que este ano decorre na Arábia Saudita, Miguel Barbosa explica em exclusivo à New Men, o que leva um piloto com o seu palmarés a enfrentar, novamente, os desafios de uma prova com a dureza e exigência daquela.

Considerado o “rookie” do ano na sua primeira participação, o oito vezes Campeão Nacional de Todo-o-terreno, guarda boas memórias das suas participações e apenas lamenta a falta de retorno que a passagem da prova para a América do Sul provocou. Este, na Arábia Saudita, a maior proximidade facilita a logística e, acima de tudo, a menor diferença horária permite intensificar a promoção da sua participação no Dakar. Convém não esquecer que uma “aventura” com esta envergadura só é possível com muito apoio dos patrocinadores.

Ao volante da conhecida Toyota Hilux, Miguel Barbosa não aponta um objetivo de classificação, mas o ideal seria ficar entre os dez primeiros. É que mesmo não contando com o melhor automóvel da extensa prova, o experiente e talentoso piloto português conta com a garra e determinação necessárias e aposta na experiência do navegador Pedro Velosa e na fiabilidade da Pick-up da Toyota para levar esta aventura a bom porto. Até porque numa prova como o Dakar, basta um erro de navegação ou de pilotagem para deitar tudo por terra.

Uma entrevista entusiasmante que espelha bem a dureza da prova e a paixão de Miguel Barbosa pelo desafio que se avizinha. Da nossa parte, resta-nos desejar boa sorte ao piloto nacional e que os “Deuses” do Dakar estejam com ele…

Texto e entrevista por Rui Reis

Spiderman Leaderboard
Slider