JOGADOR DO CRYSTAL PALACE RECUSA-SE A AJOELHAR CONTRA O RACISMO

3 HOTÉIS PARA APROVEITAR NO PÓS-CONFINAMENTO
19 de Fevereiro, 2021
A CULTURA NÃO ESTÁ NO PLANO DE RECUPERAÇÃO E RESILIÊNCIA. PORQUÊ?
19 de Fevereiro, 2021

JOGADOR DO CRYSTAL PALACE RECUSA-SE A AJOELHAR CONTRA O RACISMO

Wilfried Zaha considera que deve antes, levantar-se firmemente contra o racismo

É, no mínimo, ousado e corajoso da parte do jogador costa marfinense que considera o ajoelhar um ato degradante. Ao invés, na sua opinião, os negros devem levantar-se e manter-se firmes contra o racismo.

O jogador do Crystal Palace considera que o gesto não leva a lado nenhum. Nas suas palavras: “Eu acho o ajoelhar um gesto degradante. Os meus pais sempre me ensinaram a ter orgulho em ser negro. E por isso acho é que nos devemos levantar firmemente (…) o ajoelhar antes dos jogos não é suficiente para mim. Eu não me vou ajoelhar nem seguir o movimento Black Lives Matter, porque me parece ser apenas uma campanha para um público alvo específico. Assim estamos a isolar-nos. Estamos a tentar dizer que somos todos iguais, mas na verdade só nos estamos a isolar fazendo estas coisas (joelho) que nem sequer levam a lado nenhum. Esta é a minha opinião. Eu acho mesmo é que nos devemos é levantar firmemente”.

Numa outra nota, o jogador também deixa claro que o ativismo bem integrado nas gerações mais novas pode ser fulcral para uma educação mais sólida e, assim, contribuir para amenizar divisões raciais no futuro. Wilfried Zaha dá ainda o exemplo de Marcus Rashford que montou uma enorme campanha para ajudar a alimentar os miúdos menos favorecidos que ficaram sem as refeições da escola no confinamento. Sobre o caso de Rashford deixa ainda criticas aos que o criticaram nas redes sociais dizendo: “Como é que alguém pode dizer a Rashford para se ficara pelo futebol quando, provavelmente, o filho desse alguém está a ser alimentado pelo ativismo do jogador?”.

No final das suas declarações considera ainda que os atletas devem utilizar a sua influência para abrir os horizontes e tentar fazer a diferença na sociedade. Afinal de contas, como diz: “Só vivemos uma vez (…) se conseguires inspirar pessoas a fazer o bem e a serem melhores é um win-win“.