ESPORÃO RESERVA 2019: A PRIMEIRA COLHEITA COM CERTIFICAÇÃO BIOLÓGICA

XCEED(ER) AS EXPECTATIVAS
17 de Fevereiro, 2021
PONTO DE SITUAÇÃO NO MYANMAR
17 de Fevereiro, 2021

ESPORÃO RESERVA 2019: A PRIMEIRA COLHEITA COM CERTIFICAÇÃO BIOLÓGICA

A produção biológica foi desenvolvida sem alterar a consistência e carácter rico dos melhores vinhos do Alentejo. 

“Começámos este trabalho há mais de uma década com a convicção que poderíamos atingir novos patamares de qualidade. Neste processo, olhámos para o futuro sem nunca abdicar do passado, do clássico que construímos ano após ano, dos solos, vinhas e uvas que sempre fizeram este vinho. Muito pelo contrário, a decisão foi tratá-las ainda melhor, sem produtos químicos que interferem com a vida e a alma dos territórios, produzindo assim vinhos com maior identidade e sentido de lugar“ explica, João Roquette, CEO do Esporão.

As vinhas que dão origem a este vinho são as mesmas que foram utilizadas nas colheitas anteriores, cada ano mais antigas e complexas. Produzido com uvas das castas brancas tradicionais do Alentejo – Antão Vaz, Arinto e Roupeiro – o Esporão Reserva é vinificado numa adega exclusiva para vinhos brancos, seguido de um estágio em barricas de carvalho americano e carvalho francês. O ano de 2019, pelas suas características climáticas promoveu a evolução constante e homogénea da maturação, condições ideais para uma matéria prima de excelente qualidade.

Na hora das notas de prova sentirá aromas que sugerem casca de pêssego, noz moscada e pimenta branca. Na boca, é elegante e cremoso, com a predominância de fruta e especiarias com um final intenso e persistente.

A garrafa também se destaca pelo rótulo que ficou a cargo de Anne Genne. A artista holandesa mergulha na arte sem esquecer a ciência. O seu trabalho é sempre uma reflexão do ponto de interseção destas duas temáticas, como podemos ver na nova imagem do vinho Esporão Reserva.

As mudanças e inovação da marca revelaram-se boas, principalmente para os clientes que não dispensam este vinho alentejano em sua casa. “Parece um sonho, mas é uma realidade. Representa também uma oportunidade adicional para o Esporão, em afirmar-se como um dos mais relevantes produtores biológicos mundiais” recorda o CEO.

Este artigo foi escrito por Marta Pereira Laranjeira